Direito do Trabalho

Devido às características do setor produtivo de moda (grande quantidade de pequenas e médias sociedades de confecção, facção e manufatura de produtos de vestuário, calçados, acessórios e beleza) é necessário ter controle sobre todas as operações. Especialmente regular a relação jurídica entre patrões e empregados, trabalhadores autônomos e fornecedores e subcontratados.

A lei de terceirização recentemente aprovada, e a reforma trabalhista, trazem insegurança jurídica sobre as mudanças que podem ser aproveitadas em benefício da cadeia de valor e podem produzir litígios que constituem passivos e provisionamentos de contingência para processos repetitivos ou conexos relevantes em conjunto e mesmo solidariedade no pagamento de verbas reclamadas.

A identificação de irregularidade trabalhista junto às empresas e seus contratados pode gerar interrupção do fornecimento de produtos, danos à imagem das marcas e, em consequência, perda de atratividade por parte dos clientes, com impacto direto na receita líquida e resultado operacional.

Assim, trabalhamos para mapear e controlar os riscos trabalhistas, corrigindo e prevenindo erros com impacto direto em responsabilidade social e auditorias de conformidade, atuando ainda em processos judiciais, acordos extrajudiciais e contratos de terceirização, autônomos e prestadores de serviço.